0800 770 58 35 | (17) 3215-9199

Indústria 4.0: A nova realidade

Ao longo da história passamos por três revoluções industriais importantes, que transformaram tanto a economia quanto a sociedade em sua totalidade, influenciando diretamente nosso cotidiano e nosso trabalho. A 1ª dessas revoluções foi marcada pelo surgimento das máquinas a vapor e da  mecanização de partes de seus processos de produção, aumentando a fabricação dos artefatos e possibilitando o transporte dos mesmos. Na 2ª revolução houve o aparecimento da eletricidade e dos motores de combustão, o que propiciou a ampliação das indústrias com linhas de montagem e produção em grande escala.]

Já na 3ª revolução eclodiu a era digital, beneficiando todos os setores da sociedade, evidenciado por sistemas computadorizados, tecnologia da informação, automação das operações e uso de eletrônicos. Além disso, surgiu a internet, facilitando o alcance de diversas informações e contribuindo para a chegada de uma nova revolução, a Indústria 4.0.

O QUE É A INDÚSTRIA 4.0?

A Indústria 4.0 é uma ideia desenvolvida há pouco tempo, na qual as fábricas seriam inteligentes, isto é, teriam a capacidade de produzirem suas mercadorias de forma personalizada, independente e em ampla escala apenas com a implantação de sistemas da informação. Isso seria possível pela conectividade entre o mundo virtual e físico gerada pelos avanços tecnológicos nas áreas de automação, controle e tecnologia de informação. Essa nova revolução prevê mudanças significativas, assim como foram as antigas revoluções industriais, que romperam com várias barreiras e fizeram a sociedade evoluir.

Essa noção de entrarmos em uma 4ª Revolução Industrial ocorreu na Alemanha, no ano de 2011, em uma feira de tecnologia. Logo após essa primeira menção, o governo alemão, junto às universidades e empresas de tecnologia, estimularam e financiaram a ideia desse novo protótipo industrial.

Para que a Indústria 4.0 possa ser implementada, é necessário conhecer alguns de seus princípios norteadores, entre eles:

Capacidade de agir em tempo real: os dados são coletados e tratados imediatamente para a tomada de decisão ser naquele momento;

Virtualização: consiste em dispor de uma cópia virtual da fábrica para haver o monitoramento remoto de todas as etapas de produção a partir da fixação de sensores dispersos pela indústria;

Descentralização de processos: a indústria opera independente do homem e toma decisões baseadas nos sistemas, além de apresentar dados sobre o seu ciclo de tarefas;

Orientação a serviços: os softwares orientam respostas de serviços para a melhor funcionalidade dos dispositivos conectados à fábrica;

Modularidade: possibilita a modificação de suas atividades facilmente, conforme a necessidade da fábrica para aquela situação, o que só será possível com o acoplamento e desacoplamento dos módulos na montagem;

Interoperabilidade: troca de informações entre as máquinas e os sistemas através da Internet das Coisas.

Essa nova era transforma a visão que tínhamos das fábricas de antigamente, provocando um verdadeiro marco histórico na sociedade com a aplicação dessas tecnologias não só no ambiente industrial, como também em outros setores. Por isso, é primordial que sua empresa sempre se mantenha informada sobre os acontecimentos recentes do mercado e do mundo, beneficiando-se dessas inovações para atualizar seu negócio, já que a tendência é que cada vez mais as tecnologias evoluam e modifiquem os processos corporativos.

Fonte: Marketing Riosoft